Noticias

Palmeiras x Internacional – Taticamente Falando

Organização do Internacional e baixa intensidade ofensiva do Palmeiras mantém a eliminatória aberta na Copa do Brasil

Palmeiras x Internacional
Palmeiras x Internacional

 

O Internacional veio a São Paulo com uma proposta bem definida: o sistema com três volantes mais fixos deu lugar, ainda que só em variação, a duas linhas de quatro, com D’Alessandro atrás de Nico Lopéz e Marcelo Cirino para acelerar pela esquerda. Sem a posse, compactação e muita atenção as ações ofensivas do Palmeiras. Na retomada, a tentativa de acelerar no terço final, para aproveitar os encaixes de marcação individual do técnico Cuca e criar oportunidades de gol. Uma atuação bem consistente, com momentos até de controle. Foram quatro finalizações certas, mesmo número dos mandantes.

Internacional marcando em duas linhas de quatro bem próximas.
Internacional marcando em duas linhas de quatro bem próximas.

 

Que não repetiram a intensidade inicial, como na partida contra o Vasco na estreia do Brasileirão – algo que já se tornou marca do técnico Cuca. Sufocando a marcação com pressão alta, roubando perto da meta adversária ou acelerando nos metros finais. Sem o gol inicial, o cenário foi ficando pouco favorável. O Inter não cedia espaço e o Palmeiras tinha dificuldade em infiltrar, muito também pela noite pouco inspirada do time no ponto de vista o individual. Dudu, Guerra, Willian e Borja não fizeram um grande jogo.

Ainda assim, as melhores chances saíram dos pés da dupla estrangeira. Primeiro com Guerra, em uma das poucas infiltrações com finalização, depois com Borja que pressionou o cruzamento e viu Léo Ortiz marcar contra. O colombiano por pouco não marcou o segundo, quando tirou o goleiro Daniel e parou na trave.

Atrás e em busca do empate, o Internacional saiu um pouco mais. Zago soltou os laterais para participarem no momento ofensivo, trocou o contido Fabinho pelo atacante Roberson na direita e o pouco acionado Nico López por Brenner. Mais chances e posse de bola igual em 50%. Rodrigo Dourado parou em Fernando Prass na chance mais cristalina, em uma defesa fantástica do goleiro alviverde.

Marcação encaixada e intensa do Palmeiras.
Marcação encaixada e intensa do Palmeiras.

 

Cuca também movimentou suas peças. Fabiano na vaga de Willian empurrou Jean para o meio, Roger Guedes substituiu Borja e abriu a direita, com Erik no lugar de Guerra para ser o homem mais avançado. Pegada com intensidade na marcação de encaixes individuais e mais gás no meio campo para contra-atacar, como fez com Dudu parando em grande defesa do goleiro colorado.

Placar magro pela baixa intensidade ofensiva do Palmeiras, mas também pela organização do time de Zago. O Internacional segue sua rota de reconstrução e a boa atuação no Allianz Parque, diante do melhor elenco do Brasil, indica que o trabalho está sendo bem feito. O time de Cuca ainda é favorito, mas o confronto segue aberto para o jogo da volta no Rio Grande do Sul.

Panorama final no Allianz Parque.
Panorama final no Allianz Parque.

 

Comente, participe de sua opinião, provavelmente ajudará outros Traders também.

Forte abraço a todos!

Conteúdo original do nosso parceiro Taticamente Falando